Pirarucu selvagem e sustentável chega a Recife

Pirarucu de manejo sustentável nas comunidades da Amazônia. Foto Adriano Gambarini

Os pernambucanos agora têm como saborear o pirarucu selvagem e de manejo sustentável da Amazônia. O peixe já está disponível para a venda através do distribuidor regional Terra & Mar, pelo telefone: (81) 97916-4607. Tanto consumidores finais quanto restaurantes podem encomendar cortes como a barriga, ideal para a brasa e frituras, e o lombo, recomendado para moquecas e caldos.

A atividade de pesca controlada promove a conservação da Floresta e aumentou em 425% as populações do peixe na última década, na região do Médio Juruá. O Gosto da Amazônia pratica o comércio justo e paga aos pescadores cerca de 60% a mais pelo pirarucu selvagem do que a média do mercado local, trazendo qualidade de vida para as populações indígenas e ribeirinhas. 

“A importância de trazer o Gosto da Amazônia para o Nordeste é o ganho recíproco em diversos níveis. Os ribeirinhos nos presenteiam com um produto único e nós, enquanto consumidores, devolvemos com comércio justo. Essa admiração mútua, irá nos proporcionar um ciclo virtuoso cada vez mais abrangente”, destaca Arnon Marinho, fundador da Terra & Mar.

O chef César Santos, da Oficina do Sabor, prepara duas receitas com o peixe. Foto Divulgação

Os restaurantes de Pernambuco acabaram de lançar pratos com o peixe. O tradicional Oficina do Sabor, do chef César Santos, serve o Pirarucu Encantando – lombo de pirarucu ao molho de maracujá, leite de coco, ao perfume de gengibre, acompanhado de arroz de castanha de caju e batata na manteiga ou o Pirarucu Perfumado – filé de pirarucu temperado com limão no azeite de oliva e manteiga de garrafa, com alho laminado, cebola, pimenta de cheiro, alcaparras e tomate cereja, servido com arroz de coco e purê de banana comprida.

“Conheci o pirarucu salgado, como o “bacalhau da Amazônia”. Depois tive a oportunidade de provar o peixe fresco em Belém do Pará, o que me fez me apaixonar mais pelo peixe, pois o sabor é incrível, não tem gosto de terra, e tem boa textura. Fiquei surpreso com o produto que me foi apresentado pelo Gosto da Amazônia, com a qualidade que chega aqui”, aponta o chef César Santos. 

Pobre Juan aposta em cortes na brasa. Foto Rodrigo Azevedo

No Pobre Juan Recife, os clientes são convidados a saborear o peixe na brasa, em duas versões: pirarucu com talharim de palmito pupunha ou com molho de moqueca e purê de banana da terra.

“Na brasa, o pirarucu traz um sabor muito interessante. As pessoas estão gostando muito e voltando para comer de novo “, conta Garret Moura Filho, gestor de operações do Pobre Juan no Nordeste. 

Chef Renato Valadares aposta em duas receitas com o peixe. Foto divulgação

O chef Renato Valadares, do Cais Rooftop, foi um dos pioneiros a servir o pirarucu selvagem e de manejo sustentável em Pernambuco. Ele preparou o peixe para um casamento em Fernando de Noronha e serve no Cais como petisco, salteado na manteiga de garrafa; e principal: lombo com musseline de inhame com beterraba e azeite de laranja cravo.

“Além de ser um peixe nosso, brasileiro, o pirarucu do Gosto da Amazônia tem todos os cuidados de preservação. Seu sabor é leve e adocicado, com uma carne firme, que não se desfaz e ainda assim é macia. Tem qualidade para diversos tipos de preparo, como frito, assado, cozido, ao molho”, destacou Renato.

No Tulasi, o chef Lucas Muniz preparou o tataki de lombo de pirarucu. Foto Divulgação

No Tulasi Mercado Orgânico, o chef Lucas Muniz preparou o tataki de lombo de pirarucu em crosta de sementes, com ponzu de cítricos, schrub de beterraba orgânica, picles de maxixe e palha crocante de macaxeira.

“A ideia foi trazer uma característica amazônica ao nosso cardápio, unindo influências globais, com a pegada do estímulo ao desenvolvimento de uma economia local, circular, de comércio justo e cultivo ou extrativismo sustentável, de forma que o alimento deixe um rastro de impactos positivos na natureza em todas as pessoas que se envolveram com sua produção, transporte, manuseio, armazenamento e consumo”, diz Renata Nascimento, proprietária do Tulasi.

Ainda no primeiro semestre de 2022, o Gosto da Amazônia realizará um festival com o peixe em Recife, evento no qual cerca de 30 restaurantes da cidade servirão, durante três semanas, pratos preparados com o pirarucu selvagem de manejo.

SERVIÇO

Distribuidor Regional Pernambuco

Terra & Mar Alimentos

Telefone e whatsapp: + 55 (81) 7916-4607.

Restaurantes

Oficina do Sabor

Rua do Amparo, 335 – Amparo, Olinda.

Telefone: (81) 3429-3331

Site: http://www.oficinadosabor.com

Pobre Juan Recife

Shopping RioMar – Av. República do Líbano, 251 – Pina, Recife.

Telefone:  (81) 3327-0862

Site: pobrejuan.com.br

Cais Rooftop

Av. Alfredo Lisboa, 04, Recife.

Telefone: (81) 3224-3794

Tulasi Mercado Orgânico

Av. Conselheiro Aguiar, 1313 – Boa Viagem, Recife.

Telefone: (81) 99257-7558