Aprenda receitas fáceis com o pirarucu selvagem de manejo sustentável da Amazônia

Gosto da Amazônia estreia série no site com preparos descomplicados - 16.12.2020 - Por Renata Monti

 

Pirarucu grelhado com arroz de moqueca. Foto: Ricardo D'Angelo

Com o aumento do interesse pelo pirarucu de manejo sustentável, o Gosto da Amazônia acaba de inaugurar no site uma série com dez receitas práticas e fáceis para preparar em casa. A cada semana, haverá uma nova publicação, que além do modo de preparo descomplicado trará as informações nutricionais. As dicas vão desde petiscos, como iscas empanadas de pirarucu, a lanches, como o sanduíche com molho picante de ervas, até principais, como o pirarucu grelhado com arroz de moqueca.

Clique e confira todas as receitas!

A chef Danielle Massa, que realizou testes com o peixe e executou as dez receitas, elogiou o potencial do pirarucu para a gastronomia, considerando o seu sabor delicado, mas com personalidade.

“O pirarucu possui uma textura extraordinária, que nos permite desenvolver diversas preparações. É ótimo para  assados, grelhados, cozidos, enfim, apresenta muitas possibilidades”, destaca.

Iscas de pirarucu selvagem da Amazônia. Foto: Ricardo D'Angelo

Nos preparos, a chef utilizou cortes como a barriga e o lombo, e se surpreendeu com os resultados: 

“A barriga possui uma camada de gordura que trás muito sabor quando preparada em baixa temperatura. Essa gordura deixa o peixe mais molhadinho e garante um resultado incrível. Já o lombo é extremamente suculento, diferente do que costumamos encontrar nos outros peixes, o que o torna muito atrativo para desenvolver preparações e apresentações diferenciadas. No processo de cocção, ele mantém o formato e corte, diminuindo perdas”, explicou a chef.

Onde comprar o peixe:

Em São Paulo, o pirarucu está à venda nos Institutos Chão, Feira Livre e Baru, associações sem fins lucrativos que trabalham com produtos orgânicos e da economia solidária. A Biobá é a distribuidora em SP para hotéis, bares e restaurantes: (61) 98441-4535 ou e-mail: bioba@bioba.com.br. No Rio de Janeiro, a Só Peixe aceita pedidos pelo telefone (21) 2502-7885 e Whatsapp (21) 98312-3046.   

Receita: Pirarucu grelhado com arroz de moqueca

Rendimento: 4 porções

Ingredientes:

400g de lombo de pirarucu

250g de arroz

50g de pimentão amarelo

50g de pimentão vermelho

100g de cebola

100g de tomate

2 dentes de alho

100ml de leite de coco

20ml de azeite de dendê

20ml de azeite de oliva

Salsa a gosto

Coentro a gosto

Pimenta a gosto

Pimenta do reino a gosto

Sal a gosto

Modo de preparo:

Corte o lombo de pirarucu em postas, tempere o peixe com sal, limão e pimenta do reino. Corte os legumes em cubos pequenos. Refogue a cebola com o azeite de oliva e o azeite de dendê, junte o alho e doure. Adicione os pimentões e o tomate para refogar. Acrescente o lombo de pirarucu e 100 ml de água, cozinhe por 15 minutos.  Retire o peixe, junte o arroz e 200ml de água para cozinhar. Quando a água secar, acrescente o leite de coco. Tempere com sal, pimenta e suco de limão. Quando o arroz estiver cozido, adicione salsa e coentro.

Receita: Iscas de pirarucu empanadas

Ingredientes:

800 gramas de barriga de pirarucu

½ litro de limão

Pimenta do reino branca a gosto

Sal a gosto

Empanado:

75 gramas de farinha de trigo 

75 gramas de amido de milho

Sal a gosto

3 ovos

200 gramas de farinha panko 

Páprica defumada a gosto

5 gramas de alho em pó

1 litro de óleo para fritura

Modo de preparo: 

Corte o pirarucu em tiras de aproximadamente 2 centímetros. Tempere com o limão cravo, pimenta do reino branca moída, e sal, deixe marinando por 10 minutos. Bata o ovo e tempere com sal e pimenta. Misture a farinha de trigo com o amido de milho e uma pitada de sal, a páprica defumada e o alho em pó, retire o excesso de  líquido do pirarucu, se houver, empane o peixe passando primeiro na mistura de farinha com amido, depois nos ovos batidos e  por último na farinha panko. 

Aqueça o óleo em uma panela funda, mantenha o fogo médio, frite pouca quantidade por vez, até dourar. Escorra o excesso em um papel toalha. 

Molho: 

Em um liquidificador, bata todos os ingredientes. Ajuste o sal e a pimenta e sirva com as iscas fritas.

 

Curtiu? Compartilhe essa matéria aqui

Deixe aqui seu comentário

fechar

Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos.

A Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC) é uma organização de trabalhadores e trabalhadoras agroextrativistas de comunidades ribeirinhas localizadas ao longo do médio rio Juruá, no município de Carauari (AM), a 780 km em linha reta de Manaus, chegando a 1.500 km se acessado pela sinuosidade do rio. Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos, viabilizando processos de organização e comercialização da produção solidária e sustentável, para a geração de renda e melhoria da qualidade de vida das comunidades, aliadas à conservação da floresta e dos seus ecossistemas.

Pelo histórico de organização social das populações ribeirinhas do Médio Juruá, a ASPROC é referência na Amazônia brasileira de superação e resultados.

O Gosto da Amazônia é uma iniciativa de um Coletivo de organizações no Estado do Amazonas que assumiu o desafio de formar arranjos comerciais que buscam agregar valor à cadeia produtiva do Pirarucu, impulsionando o desenvolvimento socioambiental da região,compensando os custos ambientais com a realização do manejo e a conservação ambiental com a garantia de preço justo.

“Os resultados são bastante expressivos. A proteção de lagos explica mais de 80% da variação no estoque populacional de pirarucu."

A ASPROC tem atuado em uma dimensão territorial e inclusiva, passando a comercializar o pirarucu de outras áreas de manejo e associações comunitárias e indígenas, pagando preços mais justos e buscando novos mercados, com o objetivo de aumentar a renda e a qualidade de vida dos pescadores e manejadores. Exemplos de outras áreas parceiras da ASPROC são: as Terras Indígenas Deni e Paumari, as comunidades do Acordo de pesca de Carauari, a RDS Mamirauá (região de Jutaí), a RESEX do Baixo Juruá, a REXEX Rio Unini, a RESEX Auatí-Paraná e a RESEX do Médio Purus.

Para saber mais sobre a instituição, acesse: www.asproc.org.br
E-mail: asproc.associacao@gmail.com

(97) 3491-1023