GOSTO DA AMAZÔNIA INAUGURA SEÇÃO DE RESTAURANTES E PONTOS DE VENDA NO SITE

Pirarucu grelhado acompanhado de arroz de fruta pupunha e tucupi do Asa Açaí. Foto Divulgação

Recurso facilita a busca por cidade e região – 26.08.2020 – Por Renata Monti

Pirarucu ao molho de castanha com couscous brasileiro do Gávea Garden Bistrô. Foto Divulgação

Com a retomada do comércio e dos restaurantes para o público, o pirarucu de manejo sustentável da Amazônia está de volta aos cardápios. O site do Gosto da Amazônia acaba de estrear a seção “Restaurantes e pontos de venda”, reunindo estabelecimentos que oferecem o peixe de Norte a Sul do país. A cidade de São Paulo acaba de ganhar pontos de venda para o consumidor final e para restaurantes, bares e hotéis. No Rio de Janeiro,  estabelecimentos que já serviam o peixe aproveitaram para lançar novos pratos. Outros preferiram manter receitas de sucesso. Em Manaus, também tem restaurante apostando no manejo sustentável.

Conheça a nova seção do site com os restaurantes e pontos de venda. Clique aqui!

A grande novidade é a chegada do pirarucu selvagem em São Paulo, no mês de Julho. Para quem deseja cozinhar em casa, a barriga e o lombo do pirarucu estão à venda nos Institutos Chão e Feira Livre, associações sem fins lucrativos que trabalham com produtos orgânicos e da economia solidária. A Biobá é a distribuidora oficial em SP para hotéis, bares e restaurantes (veja endereços e contatos abaixo).

No Rio de Janeiro, a Só Peixe continua sendo a distribuidora do pirarucu de manejo, tanto para o consumidor final quanto para restaurantes e hotéis (veja endereços e contatos abaixo).

Ainda no Rio, chefs aproveitaram para lançar novos pratos com o peixe. A chef Bianca Barbosa, embaixadora do pirarucu de manejo, criou um sanduíche especial, que leva requeijão caseiro e cebolinha orgânica para o Manda!, no Boxx Botafogo. O sanduba é servido no local ou pode ser entregue com pedidos via Whatsapp: (21) 98078-3284.

Sanduíche de pirarucu de manejo do Manda!, em Botafogo

Outra opção caprichada de sanduíche é servida no famoso Bar do Momo, na Tijuca. A barriga de pirarucu é empanada com maionese de sriracha, picles de maxixe, cebola e coentro. Por enquanto, só por delivery.

“O sanduíche tem bastante aceitação”, comenta Toninho Laffargue, proprietário da casa.

No premiado restaurante Otto, na Tijuca, fãs do peixe visitam a casa frequentemente, conta o proprietário Ottmar Grunewald.

“Tenho público fiel para o pirarucu. Como há alguns anos faço o Festival de Peixes Amazônicos, já há clientes cativos. Mas a grande diferença é que agora servimos o peixe de manejo sustentável, e a aceitação é excelente”, explica Ottmar Grunewald.

Com quase sete décadas de serviço em Copacabana, a tradicional Churrascaria Palace manteve o pescado sustentável no rodízio da casa. É preparado na churrasqueira e servido  no espeto ou em porção com sal e ervas. Visando a segurança dos clientes, os pratos, talheres e guardanapos chegam lacrados à mesa. As carnes, os acompanhamentos e as saladas são escolhidos em cardápio virtual acessado através de QR-code.

“O público estrangeiro tem muita curiosidade com o pirarucu, pois quer ter uma experiência amazônica. Quando provam, ficam surpresos com o sabor. O brasileiro também se impressiona”, diz Antônio Saraiva, proprietário da Palace.

Pirarucu na brasa é servido no rodízio da Churrascaria Palace. Foto Divulgação Fábio Rossi

No Urukum, na Fonte da Saudade, na Lagoa, e no Empório Rio, na Marina da Glória, o cardápio conta com duas pedidas com o pirarucu sustentável. O ceviche de pirarucu é uma adaptação do prato andino para os brasileiros. Tem ainda a moqueca de pirarucu selvagem preparada na panela de barro com camarões, azeite de urucum e especiarias.

“Entre os nossos clientes, os que não conhecem aproveitam a oportunidade de comer o peixe amazônico no Rio. E o retorno é sempre positivo”, explica Aline Gall, gestora do grupo Urukum.

No Centro do Rio, o Asa Açaí é conhecido como ponto certeiro para quem procura comida amazônica. A casa sempre prioriza insumos da economia solidária e sustentável. Logo após a reabertura, lançaram pirarucu grelhado acompanhado de arroz de fruta pupunha e tucupi com bertalha e castanhas do Pará fresca, com molho de açaí salgado.

“O pirarucu de manejo sustentável está totalmente linkado com o nosso conceito. A gente entende que ao comprar por um preço justo essa mercadoria, estamos incentivando uma economia local, oriunda de uma pesca controlada. Ainda ajudamos as populações a permanecerem ali, a cuidar da Floresta. É uma maneira de incentivar uma Amazônia viável”, defende João Hermeto, proprietário do Asa Açaí.

Pirarucu grelhado acompanhado de arroz de fruta pupunha e tucupi do Asa Açaí. Foto Divulgação

Já na Barra, o restaurante San Blass, especializado em peixes e frutos do mar, serve o lombo de pirarucu grelhado com purê de banana da terra, farofa de cuscuz com temperos regionais, molho de camarão confitado na manteiga de garrafa.

“O prato é inspirado nos temperos da Dona Nair, minha querida Mãe, que está bem de saúde dentro de seus 94 anos”, diz o chef Airton Aragão.

Quem prefere um toque francês, o chef Frédéric Monnier, também embaixador do pirarucu de manejo, inova na produção de rillettes, terrines, patês e conservas com o peixe selvagem. São entregues em casa em potes de vidro, com opcões de kits com cervejas, vinhos ou espumantes. As encomendas podem ser feitas diretamente com o chef pelo WhatsApp: (21) 99761-8589.

A chef Andressa Cabral, no comando do recém-reformado Meza Bar, em Botafogo, mantém no cardápio o pirarucu selvagem defumado, purê de banana e cardamomo, tartare de feijão vermelho.

Ainda no Rio, o Gávea Garden Bistrô serve semanalmente o pirarucu de manejo ao molho de castanhas com cuscuz brasileiro (feito com farinha de mandioca).

Em Manaus, o restaurante Caxiri serve o ceviche de pirarucu de manejo com ervas, tucupi (caldo da mandioca brava) e coco fresco, para comer com chips de cará, macaxeira e beiju.

ONDE ENCONTRAR

SÃO PAULO

Biobá – Hotéis, bares e restaurantes. Telefone: (61) 98441-4535 ou e-mail: bioba@bioba.com.br.

Instituto Chão – Consumidor final. Rua Harmonia, 123, Vila Madalena.

Funcionamento: Seg, ter, qui e sex, das 8h às19h; Qua, das 8h às 14h; Sáb, das 8h às 17h.

Telefone: (11) 3819-4205.

Instagram:  @institutochao 

www.institutochao.org

Instituto Feira Livre – Consumidor final. Rua Major Sertório, 229, Vila Buarque. Funcionamento: Ter a sex, das 9h às 17h; Sáb, das 9h às 15h.

E-mail: contato@institutofeiralivre.org

Instagram:  @institutofeiralivre

www.institutofeiralivre.org

RIO DE JANEIRO

Só Peixe – Pirarucu selvagem de manejo sustentável para o consumidor final, hotéis, bares e restaurantes.

Telefone: (21) 2502-7885

Whatsapp: (21) 98312-3046

Instagram: @peixariasopeixe

www.sopeixe.com.br

Asa Açaí –  Pirarucu grelhado acompanhado de arroz de fruta pupunha e tucupi com bertalha e castanhas do Pará fresca, com molho de açaí salgado.

Onde: Rua Sacadura Cabral, 79 – Saúde, Rio de Janeiro – RJ. Telefone: (21) 98849-4541Instagram: @asa_acai.

Bar do Momo – Sanduíche de barriga de pirarucu empanada servido com maionese de sriracha, picles de maxixe, cebola e coentro.

Onde: Rua Gen. Espírito Santo Cardoso, 50A, Loja A, Tijuca.

Instagram: @bardomomooficial

Churrascaria Palace – Lombo de pirarucu grelhado com ervas. É servido no rodízio da casa.

Onde:  Rua Rodolfo Dantas, 16 – Copacabana, Rio de Janeiro – RJ. Telefone: (21) 2541-5898. Instagram: @churrascariapalace.

Empório Rio – Ceviche de pirarucu e Moqueca de pirarucu selvagem de manejo sustentável preparada na panela de barro com camarões, azeite de urucum e especiarias. Éservido com arroz branco, pirão e farofa de dendê.

Onde: Marina da Glória – Av. Infante Dom Henrique, s/n – Glória. Telefone: (21) 2556-1201.

Urukum – Ceviche de pirarucu e Moqueca de pirarucu selvagem de manejo sustentável preparada na panela de barro com camarões, azeite de urucum e especiarias. É

servido com arroz branco, pirão e farofa de dendê.

Onde: Rua Fonte da Saudade 187, Lagoa – Rio de Janeiro – RJ. Telefone: (21) 2143-8131. Instagram:  @urukumrestaurante.

Frédéric Monnier – Rillettes, terrines, patês e conservas com o peixe. As encomendas podem ser feitas diretamente com o chef pelo WhatsApp: (21) 99761-8589.

Gávea Garden Bistrô – Pirarucu de manejo ao molho de castanhas com cuscuz brasileiro (feito com farinha de mandioca).

Onde: Rua Marquês de São Vicente, 52, Loja 123 – Gávea – Rio de Janeiro – RJ. Telefone: (21) 2512-3366. Instagram:  @gaveagardenbistro

Manda! – Sanduíche de pirarucu de manejo sustentável com requeijão  caseiro e cebolinha orgânica.

Onde: Rua São João Batista, 26, dentro do Boxx, Botafogo. O funcionamento é de terça a sábado, das 11h30m às 20h. Telefone: (21) 98078-3284.

Meza Bar – Pirarucu selvagem defumado, purê de banana e cardamomo, tartare de feijão vermelho.

Onde: Rua Capitão Salomão, 69, Humaitá – Rio de Janeiro – RJ. Telefone: (21) 3239-1951. Instagram: @mezabar

Otto – Rua Uruguai 380 Loja 22 and 23 – Tijuca. Telefone: (21) 2268-2000.

Instagram: @ottorestaurante.oficial.

San Blass – Av. Lucio Costa, 01976, Lojas I e J, Barra da Tijuca.  Telefone: (21) 98188-3678.

MANAUS

Caxiri – Rua 10 de Julho, 495 – Centro, Manaus. Telefone: (92) 3304-8700.

Instagram: @caxiri_amazonia.