Festival Gosto da Amazônia reúne mais de 30 restaurantes em São Paulo

Participantes servem receitas exclusivas com pirarucu selvagem de manejo sustentável de 19 a 5 de dezembro - 10.11.2020

Prato do restaurante Kinoshita, tradicional japonês em São Paulo. Foto Ricardo D'Angelo

A cidade de São Paulo recebe entre os dias 19 e 5 de dezembro o Festival Gosto da Amazônia, com a participação de mais de 30 restaurantes de excelente gastronomia que oferecem pela primeira vez aos seus clientes um dos grandes ícones da Amazônia: o pirarucu selvagem, maior peixe de água doce de escamas do mundo. O manejo do pirarucu, realizado pelas comunidades tradicionais da região em áreas naturais, obedece aos critérios de pesca sustentável estabelecidos pelo IBAMA e representa um dos instrumentos mais poderosos de conservação da Amazônia e do desenvolvimento da economia local.

A alimentação do pescado é toda natural, assim como o seu crescimento nos rios, lagos e várzeas da Amazônia. A comercialização do produto, coordenada pela Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC), envolve comunidades locais em um arranjo produtivo baseado nos conceitos do comércio justo e da economia solidária, e o pirarucu que será servido ao mercado paulistano vem diretamente dessas comunidades.

Prato do restaurante Brique. Foto Ricardo D'Angelo

“Estamos oferecendo a oportunidade para o consumidor consciente ajudar na conservação da Floresta Amazônica e também a remunerar de forma digna as famílias que fazem a proteção daquele ecossistema”, destaca Adevaldo Dias, responsável na ASPROC pela comercialização do peixe. “Até então, 90% do nosso produto era comercializado no Amazonas. No ano passado, demos um passo para o Rio de Janeiro e agora chegamos em São Paulo”, completa. 

As ações de promoção do Gosto da Amazônia em 2019 foram concentradas no Rio de Janeiro, onde chefs testaram e aprovaram o produto, realizaram oficinas gastronômicas e viajaram para a Amazônia a fim de conhecer de perto o manejo realizado pelos índios Paumari. O Gosto da Amazônia também esteve presente no Rio Gastronomia e organizou dois festivais, no CADEG e no Shopping Uptown, onde restaurantes serviram diversos pratos preparados com o pirarucu selvagem de manejo.

Em São Paulo, o Festival Gosto da Amazônia tem como parceiros o Mundo MESA (curador de conteúdo e responsável pela seleção dos restaurantes participantes), a Associação Nacional de Restaurantes (ANR) e a Biobá, distribuidora local. O lançamento do produto nos restaurantes da capital paulista é uma forma de valorizar o sabor, a versatilidade e os atributos sustentáveis do pirarucu selvagem. 

Prato do restaurante Aizomê. Foto Ricardo D'Angelo

A venda em São Paulo teve início no final de julho, por meio da Biobá. As encomendas podem ser feitas pelo telefone: (61) 98441-4535 ou e-mail: bioba@bioba.com.br. Já nos Institutos Chão e Feira Livre, associações sem fins lucrativos que trabalham com produtos orgânicos e da economia solidária, os consumidores finais podem adquirir a barriga (conhecida no Amazonas como ventrecha) e o lombo do pirarucu, cortes do peixe muito saborosos e versáteis que possibilitam diversas formas de preparo.

O Mundo MESA, através do seu veículo de gastronomia, a Prazeres da MESA, tem o privilégio de participar ativamente na história da conservação da biodiversidade da Amazônia e outros biomas brasileiros. O pirarucu selvagem de manejo sustentável é um desses produtos que vêm se juntar ao açaí e a castanha como um dos melhores caminhos para desenvolver e consolidar a aventura do extrativismo sustentável de produtos florestais não madeireiros nas florestas tropicais.

Restaurantes participantes

Aizomê

A casa é comandada pela chef Telma Shiraishi. Prato: Pirarucu Saikyo Yaki: marinado ao sakê e missô e grelhado com cogumelos e tsukemoto de maxixe.

Onde:Alameda Fernão Cardim, 39 - Jardim Paulista, São Paulo - SP - 01403-020.

Attimo

O Attimo – “momento” em italiano é um restaurante de cozinha italiana inaugurado em 2012 na Vila Nova Conceição, São Paulo. Prato: Il Pesce - Finas fatias de peixe Pirarucu defumado da Amazônia, marinado com limão siciliano, pimenta preta servido sobre leito de tomate cereja. 

OndeRua Diogo Jacome, 341 - Vila Nova Conceição, São Paulo - SP, 04512-001

Banzeiro

Comandado pelo chef Felipe Schaedler, explora ingredientes e técnicas da região amazônica para entregar receitas autorais. Prato: Pirarucu Amazônico.

Onde: Rua Tabapuã, 830 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04533-003

Brique

Restaurante do Grupo Bah!, comandado pelo chef Marcos Livi. Prato: Pirarucu com tubérculos: Roll de Pirarucu grelhado com mandioquinha e acelga tostada, picles de cenoura, beterraba marinada e molho de vinho branco com alho.

Onde: Rua Dr. Fonseca Brasil, 107 - Morumbi, São Paulo - SP, 05727-160.

Cantaloup

O elegante restaurante leva ao Itaim cardápio contemporâneo baseado em peixes e frutos do mar. Prato:  Lombo de pirarucu grelhado com manteiga queimada aromatizada com baunilha, risotto de ervilhas e aspargos verdes ao molho de tucupi.

Onde: Rua Manuel Guedes, 474 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04536-070

Capim Santo

Embaixada da gastronomia brasileira contemporânea, o Capim Santo se tornou referência internacional com o cardápio criado pela Chef Morena Leite, que mescla a tropicalidade de Trancoso com técnicas francesas da escola Cordon Bleu. Prato: Pirarucu Confitado com molho de Tacacá acompanhado de purê de Palmito Pupunha e farofa cítrica de Bragança.

Onde: Av. Brg. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano, São Paulo - SP, 01451-000.

Chez Claude

A primeira casa do chef Claude Troisgros em São Paulo traz um pouco da comida de bistrô com toques brasileiros e informalidade. Prato: Bouillabaisse de pirarucu.

Onde: Rua Prof. Tamandaré Tolêdo, 25 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04532-020.

Due Cuochi

Considerado um dos melhores restaurantes italianos em São Paulo, o Due Cuochi tem mais de 10 anos de história, cozinha artesanal e ambiente acolhedor. Prato:  Pirarucu selvagem ao molho de cúrcuma e coco com purê de cará e rama de tomates assados.

Onde: Rua Manuel Guedes, 93 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04536-070.

Shopping Cidade jardim - Av. Magalhães Castro, 12.000 - 3ºpiso, São Paulo – SP.

Emiliano

Restaurante do Hotel Emiliano.  Prato: pirarucu grelhado, acompanhado de vegetais defumados, molho romesco de pimentões e castanha do Pará.

Onde:  Rua Oscar Freire, 384 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, 01426-000.

Galo Véio do Distrito

Coletivo gastronômico localizado no bairro Panamby - comandado pelo chef Marcos Livi. Prato:  Posta de pirarucu levemente defumado e finalizado na parrilla. Leva manteiga de ervas e limão, legumes tostados com farofa galo véio.

Onde: Rua Aureliano Guimarães, 100 - Morumbi, São Paulo - SP, 05727-060.

Grand Hyatt

Especializado em alta gastronomia, o restaurante do Hotel Grand Hyatt São Paulo possui cardápio sofisticado com ingredientes locais. Prato: Lombo de pirarucu braseado no tucupi, com pupunha, coulis de jambu, e farofa de açaí.

Onde: Av. das Nações Unidas 13301, São Paulo. 

Jacarandá

Instalado em um belo jardim, a casa tem o salão construído ao redor de um jacarandá mimoso e oferece uma cozinha focada no ingrediente e respeito à natureza orgânica do produto. Prato: Confit de pirarucu com salada cítrica de arroz negro e pimentão defumado.

Onde: Rua Alves Guimarães, 153 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05410-000.

Kinoshita

No Kinoshita se preserva a tradição da cozinha kappô, que transita pelos diversos métodos de culinária: do corte preciso dos insumos e como cozinhar, grelhar, fritar, assar o ingredientes, potencializando seus sabores naturais.

Onde: Rua Jaques Félix, 405 - Vila Nova Conceição, São Paulo - SP, 04509-000

Le Jazz

Prato: Barriga de pirarucu à meuniere com arroz de jasmin e vagem.

Onde:  Rua dos Pinheiros, 254 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05422-012. Rua Dr. Melo Alves, 734 - Cerqueira César, São Paulo - SP, 01417-010. Shopping Center Iguatemi - Av. Brg. Faria Lima, 2232 - Jardim Europa, São Paulo - SP, 01489-900. Av. Higienópolis, 618 - Higienópolis, São Paulo - SP

Loup

A casa, localizada no Itaim Bibi, é comandada por Daniel Sagahoff, o competente restaurateur que dita as cartas do Cantaloup há duas décadas. Prato: Pirarucu ao forno com crosta de aviú, purê de fruto da pupunha com geléia de açaí e emulsão de tucupi.

Onde: Rua Dr. Mario Ferraz, 528 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 01453-011

Mangiare 

Inspirado em cozinha mediterrânea, o restaurante aposta em massas e frutos do mar. Prato: Pirarucu ao estilo da Sicília.

Onde: Av. Imperatriz Leopoldina, 681 - Vila Leopoldina, São Paulo.

Micaela

Localizado nos Jardins e comandado pelo chef Fábio Vieira, o Micaela traz todo o sabor da cozinha brasileira. Prato: Risoto de Tucupi e jambu com arroz bomba e Pirarucu grelhado.

Onde: Rua José Maria Lisboa, 228 - Jardins, São Paulo - SP, 01423-000

NB Steak

O NB Steak tem suas raízes nas tradições gaúchas para o preparo de carnes e também um olhar aberto às melhores práticas da gastronomia internacional. Prato: Pirarucu na brasa com caldo de tucupi (caldo da mandioca brava).

Onde: Faria Lima: Av. Brg. Faria Lima, 140 - Pinheiros, São Paulo - SP. JK: Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 816 - Itaim Bibi, São Paulo - SP. Campo Belo: Av. Ver. José Diniz, 3864 - Campo Belo, São Paulo - SP. Alphaville: Alameda Rio Negro, 650 - Alphaville Industrial, Barueri – SP.

Pobre Juan

Prato: Pirarucu Amazônico, farofa crocante na manteiga de garrafa, arroz de coco e molho de moqueca.. Onde: Rua Com. Miguel Calfat, 525 – Vila Olímpia. São Paulo - SP.

Praça São Lourenço

Restaurante ao ar livre no coração da vila olímpia. Cardápio Brasileiro Variado com o aroma e perfume do forno à lenha. Prato: Carpaccio de pirarucu, folhas de jambú, rúcula selvagem e salsa criolla. Serve também lombo de pirarucu, molho de camarão, arroz de coco e farofa copioba.

Onde: Rua Casa do Ator, 608 - Vila Olímpia, São Paulo - SP, 04546-002

Quintana

Um bar do @grupobah em homenagem ao poeta gaúcho Mário Quintana. Prato: Peixe pirarucu grelhado servido com mandioca, farofa de banana vinagrete de salsa criola e picles de abóbora.

Onde: Rua Alessandro Volta, 151, Brooklin, 5507-4125.

Ruella

O Ruella Bistrô segue refletindo a história de sua chef Dani Dahoui: experiências pelo mundo, a paixão pela boa comida e pela boa música, a arte de bem receber. Prato: Pirarucu grelhado ao molho bisque com cúrcuma da terra e castanha do Brasil acompanha purê de banana com gengibre.

Onde: Rua João Cachoeira, 1507 - Vila Olímpia, São Paulo - SP, 04535-015.

Tasca da Esquina

NA COZINHA DA ESQUINA. Pode todo um país caber numa esquina? O Chef Vítor Sobral e sua equipe acreditam que sim. Prato:  Lombo de pirarucu com purê de feijão branco, vinagrete de cebola roxa e farofa de torresmo e coentro.

Onde: Alameda Itu, 225 - Cerqueira César, São Paulo.

Veríssimo

Bar do @grupobah. Uma homenagem ao escritor Luís Fernando Veríssimo. Prato:  Pirarucu com couscous de farinha d’ água, banana da terra e castanha do Brasil com caldo de tucupi e camarão seco.

Onde: Rua Flórida, 1488 - Brooklin Novo, São Paulo.

 

Curtiu? Compartilhe essa matéria aqui

Deixe aqui seu comentário

fechar

Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos.

A Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC) é uma organização de trabalhadores e trabalhadoras agroextrativistas de comunidades ribeirinhas localizadas ao longo do médio rio Juruá, no município de Carauari (AM), a 780 km em linha reta de Manaus, chegando a 1.500 km se acessado pela sinuosidade do rio. Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos, viabilizando processos de organização e comercialização da produção solidária e sustentável, para a geração de renda e melhoria da qualidade de vida das comunidades, aliadas à conservação da floresta e dos seus ecossistemas.

Pelo histórico de organização social das populações ribeirinhas do Médio Juruá, a ASPROC é referência na Amazônia brasileira de superação e resultados.

O Gosto da Amazônia é uma iniciativa de um Coletivo de organizações no Estado do Amazonas que assumiu o desafio de formar arranjos comerciais que buscam agregar valor à cadeia produtiva do Pirarucu, impulsionando o desenvolvimento socioambiental da região,compensando os custos ambientais com a realização do manejo e a conservação ambiental com a garantia de preço justo.

“Os resultados são bastante expressivos. A proteção de lagos explica mais de 80% da variação no estoque populacional de pirarucu."

A ASPROC tem atuado em uma dimensão territorial e inclusiva, passando a comercializar o pirarucu de outras áreas de manejo e associações comunitárias e indígenas, pagando preços mais justos e buscando novos mercados, com o objetivo de aumentar a renda e a qualidade de vida dos pescadores e manejadores. Exemplos de outras áreas parceiras da ASPROC são: as Terras Indígenas Deni e Paumari, as comunidades do Acordo de pesca de Carauari, a RDS Mamirauá (região de Jutaí), a RESEX do Baixo Juruá, a REXEX Rio Unini, a RESEX Auatí-Paraná e a RESEX do Médio Purus.

Para saber mais sobre a instituição, acesse: www.asproc.org.br
E-mail: asproc.associacao@gmail.com

(97) 3491-1023