Peixaria Oceânica é ponto de venda oficial do pirarucu de manejo sustentável em Niterói

Os pedidos podem ser feitos por telefone e Whatsapp - Por Renata Monti - 30.12.2020

Depois de ganhar os restaurantes e mercados do Rio e São Paulo, o pirarucu selvagem de manejo sustentável da Amazônia acaba de chegar à Peixaria Oceânica, em Niterói, referência em pescados de qualidade. Os pedidos podem ser feitos por Whatsapp: (21) 97012-2017, e também pelo telefone: (21) 2609-6266.

O manejo sustentável do pirarucu é um tipo de pesca controlada, realizada em conjunto por indígenas e comunidades ribeirinhas da Amazônia, e tirou o peixe da lista dos animais ameaçados de extinção. Trabalho em equipe, autorizado pelo IBAMA, que obedece os ciclos de reprodução e crescimento do peixe, garante o sustento de centenas de famílias na Amazônia, além de ajudar a preservar a Floresta. Portanto, consumir alimentos sustentáveis, como o pirarucu de manejo, é uma ótima forma de contribuir para o meio ambiente.

De acordo com João Mofatti, responsável comercial da Oceânica, o interesse pelo peixe amazônico tem crescido bastante.

“Temos três perfis de clientes. Aqueles que não conhecem o peixe e estão curiosos para experimentar algo diferente, de uma região distante para nós. Outro de quem já esteve na Amazônia e adora o sabor do pirarucu. E também os restaurantes, que estão desenvolvendo novos pratos com o peixe”, explica Mofatti.

Na lista dos restaurantes renomados, estão o Território, Place H, Olimpo, Taberna do Darwin, Buzin Icaraí, Ativa, entre outros.

"Provei vários peixes amazônicos e o pirarucu foi o que mais se destacou. A carne não tem gosto de terra e é bem branquinha, com uma textura ótima para diversos preparos. São 60 a 80kg de lombo de pirarucu por mês. É um peixe que surpreendeu muito os clientes, superando as expectativas",  diz o chef Daniel Hollanda, que serve o lombo grelhado com purê de batata baroa, farofa crocante de castanha do Brasil e moquequinha de camarão no restaurante Olimpo. 

Onde comprar em Niterói:

Peixaria Oceânica: Estrada Francisco da Cruz Nunes, 1604 - loja 108 - Piratininga - Região Oceânica. (21) 97012-2017, e também pelo telefone: (21) 2609-6266.

Conheça outros pontos de venda e restaurantes. Clique aqui!

Receita: Escondidinho de Pirarucu

Ingredientes

500g Mandioquinha
100g Cebola
20g Alho
Salsa a gosto
120g Requeijão
1.500 ml Caldo de legumes
Sal a gosto
300g Pirarucu
60g Manteiga
50g Queijo parmesão
2 Folhas de louro

Modo de fazer

Cortar a mandioquinha em cubos e cozinhar com caldo de legumes e as folhas de louro ate ficar macia. Deixar escorrer. Amassar até formar um purê. Corrija o sal, adicione o requeijão misture bem e reserve.
Derreta 30 gramas manteiga e grelhe o peixe ate ficar levemente dourado. Transforme em lascas não muito pequenas.
Doure a cebola e o alho na manteiga restante, adicione as lascas de pirarucu e refogue rapidamente. Adicione a salsa e as azeitonas picadas e reserve.
Em uma forma ou refratário coloque metade do purê de mandioquinha e faça uma camada uniforme.
Adicione o pirarucu em lascas e faça uma camada distribuindo de maneira uniforme, cubra com o restante de purê, polvilhe o parmesão ralado e leve ao forno para gratinar.

 

Curtiu? Compartilhe essa matéria aqui

Deixe aqui seu comentário

fechar

Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos.

A Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC) é uma organização de trabalhadores e trabalhadoras agroextrativistas de comunidades ribeirinhas localizadas ao longo do médio rio Juruá, no município de Carauari (AM), a 780 km em linha reta de Manaus, chegando a 1.500 km se acessado pela sinuosidade do rio. Constituída legalmente há 25 anos, a ASPROC tem a missão organizar e representar os trabalhadores rurais na luta pela garantia dos direitos, viabilizando processos de organização e comercialização da produção solidária e sustentável, para a geração de renda e melhoria da qualidade de vida das comunidades, aliadas à conservação da floresta e dos seus ecossistemas.

Pelo histórico de organização social das populações ribeirinhas do Médio Juruá, a ASPROC é referência na Amazônia brasileira de superação e resultados.

O Gosto da Amazônia é uma iniciativa de um Coletivo de organizações no Estado do Amazonas que assumiu o desafio de formar arranjos comerciais que buscam agregar valor à cadeia produtiva do Pirarucu, impulsionando o desenvolvimento socioambiental da região,compensando os custos ambientais com a realização do manejo e a conservação ambiental com a garantia de preço justo.

“Os resultados são bastante expressivos. A proteção de lagos explica mais de 80% da variação no estoque populacional de pirarucu."

A ASPROC tem atuado em uma dimensão territorial e inclusiva, passando a comercializar o pirarucu de outras áreas de manejo e associações comunitárias e indígenas, pagando preços mais justos e buscando novos mercados, com o objetivo de aumentar a renda e a qualidade de vida dos pescadores e manejadores. Exemplos de outras áreas parceiras da ASPROC são: as Terras Indígenas Deni e Paumari, as comunidades do Acordo de pesca de Carauari, a RDS Mamirauá (região de Jutaí), a RESEX do Baixo Juruá, a REXEX Rio Unini, a RESEX Auatí-Paraná e a RESEX do Médio Purus.

Para saber mais sobre a instituição, acesse: www.asproc.org.br
E-mail: asproc.associacao@gmail.com

(97) 3491-1023